Olá! Me chamo Luís e você? Seja muito bem vindo, aqui neste singelo espaço, você encontrará várias histórias e lendas, antigas e atuais da nossa bela Laguna





Foto: Elvis Palma | A tradição da pesca artesanal (Molhes da Barra)

23 de outubro de 2013

11 - II Barão de Laguna: Um pouco sobre Almirante Lamego

Na décima primeira história, a história do II Barão de Laguna:

Almirante Lamego em Montagem. (Reprodução da Internet)
Nasce Jezuíno Lamego
Em 13 de setembro de 1811, na comunidade de Laranjeiras, nasce Jezuíno Lamego da Costa, sendo filho de José Nicolau Lamego da Costa e de Joaquina Antonina Jesus Costa. Jezuíno tinha dois irmãos Firmino e José Lamego da Costa, ressalto que os três filhos deram orgulho ao Sr. José e a D. Joaquina, ambos fizeram carreira na Marinha Imperial Brasileira.

Jezuíno entra para a Marinha, e logo começa a destacar-se
Aos quinze anos de idade, ingressou na Marinha de Guerra, servindo a essa com total dedicação que um ano depois recebeu o batismo de fogo, e sob os comandos de seu irmão José Lamego, serviu ao Brasil na Guerra da Cisplatina no ano de 1827.

Em abril de 1827, Lamego, recebe a patente de segundo tenente da Marinha, e luta na Cabanagem do Pará e contra os "balaios" Maranhão, onde destaca-se pela bravura. Recebendo anos depois a patente de primeiro tenente, exercia a função de comandante militar na Vila de Santa Maria do Icatu/PA.
Terminando a campanha, em 1841, foi promovido à capitão - tenente, e recebe do Imperador Dom Pedro II, a comenda de cavaleiro da Imperial Ordem de Rosa.

Lamego, promoções e condecorações
Em 1845, a pedido do imperador D. Pedro II, que estava em comitiva no sul do Brasil, concedeu à Jesuíno Lamego, o comando do navio Imperador, onde estava toda a comitiva imperial, após o fato foi promovido a Capitão de Fragata, e em 1849, após o combate de Tonelero, foi promovido à Capitão de Mar e Guerra e recebe no mesmo ano a comenda de oficial da Ordem do Cruzeiro e a medalha de ouro nº.2 da Cia. Rio da Prata.

Ao correr do ano de 1852, foi nomeado comandante da Divisão do Rio da Prata, deixando o cargo quatro anos depois para assumir o comando da Estação Naval do Rio de Janeiro, tão logo assumiu o comando da Estação, foi agraciado com a comenda de oficial da Imperial Ordem de São  Bento de Avis, ainda pra encerrar 1856, foi promovido à Chefe de Divisão. Iniciando a Guerra do Paraguai (1864), ocupou o cargo de Inspetor do Arsenal de Guerra, onde promoveu a restauração e construção de navios de vários navios de guerra, a atividade que desenvolverá não passará sem reconhecimento de D. Pedro II, que o condecorou com a Ordem da Rosa, foi promovido à Chefe de Esquadra e nomeado Conselheiro de Guerra.

Em 1874 é promovido à vice-almirante graduado e em dezembro de 1876, se torna almirante recebendo a Grã-Cruz da Ordem de São Bento de Avis.

Registramos que foi também condecorado com as honras, de Velador de S. Majestade a Imperatriz, recebe ainda as comendas da Ordem de Nossa Senhora de Conceição de Vila-Viçosa, de Portugal, Ordem de São Carlos, da Espanha, Oficial e depois comendador da Legião de Honra da França, Ordem Neerlandesa do Príncipe Wilhelm III e cavaleiro da Iª classe da Ordem Imperial e Real de Santo Estanislau da Rússia.

Deputado e Senador
Filiado ao Partido Conservador, em 1859 foi eleito Deputado Federal por Santa Catarina e em 1872, foi eleito senador pelo estado barriga-verde recebendo a maior votação

Título de Barão de Laguna é concedido
Ficheiro:COA Baron of Laguna.svg
Brasão de Armas do II Barão da Laguna
(Reprodução: Wikipédia.com)
Em 17 de Maio de 1871, por Decreto Imperial foi concedido à Jezuíno Lamego, o título de "Barão de Laguna".
Lamego, foi o II Barão de Laguna, o primeiro barão, foi o lisboano Carlos Leccor.             
Lamego possuía um brasão formado por um campo de oiro, um chaveirão de golesacompanhado á extra de um esquadro de azul, movente de norte de uma bussola do mesmo, á sinistra de um galo de azul cantante cristado e barbado de goles  e na ponta, de uma ancora de sable. Chefe de azul com quatro estrelas de prata.




Morre o Almirante
Na capital do império, o dia 16 de fevereiro de 1886, amanheceu triste, naquela data falecia o almirante Jesuíno Lamego da Costa, a imprensa prestou homenagens, a corte também, sua morte foi sentida tanto na província de Santa Catarina quanto na capital imperial.

Legado
*Em 1964, foi fundado em Laguna, o Conjunto Educacional Almirante Lamego (hoje Escola de Ensino Médio).
*Em Laguna, há também, a Rua Almirante Lamego.

Referências
Publicações:
*ULYSSÉA, Ruben. Laguna: Memória Histórica. 1ª Edição. Brasília. Editora Letra Ativa. 2004. 310p.
*VASCONCELOS, Jaime Smith de. VASCONCELOS, Rodolfo Smith. Arquivo Nobiliárquico Brasileiro. 1ª Edição. Lausana - Suiça. 1918. 

Um comentário:

  1. Show de reportagem! Vivi minha infância na casa 723 da rua Almirante Lamego, além de ter estudado na escola, que leva seu noma! Adorei ter conhecido a história desse ilustre lagunense!

    ResponderExcluir

Olá, leitor! Tem alguma coisa à dizer?
Seu comentário será sempre bem vindo!
Peço gentilmente que o autor do comentário se identifique.

Copyright © Blog As Mil e Uma Histórias de Laguna | Direitos Reservados à Luís Claudio Joaquim Abreu

Design original: Anders Noren | Editado por LUCLA